Você conhece o sabor do êxito?

primeiro

Sabe aquela questão sobre a epifania que tanto é associada à obra da Clarice Lispector? Para quem não conhece tão a fundo, em poucas linhas, o traço mais marcante dessa autora era a epifania.

Clarice era uma mulher do seu tempo, engajada politicamente e socialmente. Às vezes pouco se expunha, mas a sutileza da sua obra muito revelava das questões humanas, íntimas dos relacionamentos. E voltando à epifania, que significa súbita revelação, quer dizer que às vezes um fato corriqueiro, banal do cotidiano nos desperta uma reflexão filosófica da nossa própria vida.

A leitura de um e-mail, uma mensagem, uma palavra meio arrevesada, as múltiplas visões que as pessoas têm de vários assuntos viram um convite a uma viagem para dentro de si mesmo. E o êxito me chama a atenção.

Filosofia de boteco à parte, o êxito também tem seu antagonista chamado inveja. Claro, quem não conhece! Quanto mais o primeiro se projeta, mais seu inimigo se enfurece. Mas, quem pode mesmo provar o sabor do êxito?

001

Não digo nada inatingível ou aquele projeto dos sonhos. O êxito pode estar nas pequenas coisas que nos dispomos a fazer e temos bons resultados. Seja uma sobremesa que quisemos nos aperfeiçoar para a família, eliminar aqueles quilos a mais que tanto nos incomoda, a prática da leitura que tanto nos cobramos, deixar de tomar refrigerante; enfim tantas coisas que nos colocamos à prova todos os dias. A nossa maior luta é, a bem da verdade, a autodisciplina. Aí está o segredo do êxito. E só quem a saboreia, é quem se arroja e não se acovarda.

É aquele que troca a balada pela faculdade e o copo pela apostila. É aquele que precisou dar um passo para trás, fazer uma renúncia para dar, depois, muitos à frente. É aquele que não é imediatista e sabe que seus projetos maiores dependem de um caminhar árduo de muitos anos. É aquele que depende de si mesmo e aposta no seu talento, nas suas habilidades e competências para crescer e ser melhor a cada dia.

002

Não, aquele que acha que nada paga a pena do esforço não conhece esse gosto. Aquele que se aproveita de atalhos, achando que vai cortar caminhos também não conhece o triunfo do êxito. Cortar caminhos, eu digo, não se aprimorar tecnicamente, profissionalmente. Não precisa ser só por meios acadêmicos, se é que me entendem. Criar atalhos eu digo é por outros meios, não tão nobres, à base de falsificação, adulteração, pequenos golpes, casamento por conveniência, gente que vive à custa da vida de alguém e muitas vezes da morte de alguém, e tantas outras situações que você, leitor, já elenca de cabeça.

Então, o sabor do êxito, seja num diploma super sofrido de ser conseguido, um vestibular concorrido, seja na construção da casa que está na altura da laje, no avanço da empresa que começou pequena, seja na viagem internacional que há tempos se queria fazer, ou nos quilos que se queria perder, na sobremesa já citada anteriormente é para poucos mesmo.

003

Esses sabem o quanto vale e têm histórias para contar. Vida rica de vivências! Isso sim aguça a inveja ou o recalque tão popularmente difundido. Então “beijinho no ombro” para que ele fique longe, bem longe, meu Pai!!!!

Ah, não é nada direto, não, pura epifania!!!

One thought to “Você conhece o sabor do êxito?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *