Sorria e melhore a saúde do seu ambiente de trabalho

Trabalhar num bom ambiente é o que nove entre dez pessoas desejam para sua vida profissional, entretanto sempre fica um questionamento no ar: se grande parte da equipe almeja esse resultado, por que é tão difícil a convivência nos espaços corporativos? Seria remar contra a maré, já que as condições, as exigências e o stress são tão altos? De acordo com os especialistas, o temperamento é algo intrínseco da personalidade do indivíduo, mas pode ser trabalhado e melhorado. Conviver com pessoas é saber driblar problemas, buscar o senso, ouvir mais e conhecer um pouco além o outro. Assim aspirar a uma boa qualidade de relações interpessoais profissionalmente sem bom humor é utopia.

Conviver com o mau humor diariamente desfavorece a produtividade, gera tensões além das impostas pela própria incumbência da função de cada um e aumenta o stress. O próprio exame de seleção é um espaço que deveria ser mais explorado na observância de colaboradores com perfil bem humorado. Não há quem não se renda a um sorriso franco e um “bom dia” contagiante. Multiplicadores do bom humor casam com qualquer trabalho, aceitam com mais naturalidade uma crítica construtiva, pois sabem que no mundo dos negócios nada é pessoal. Assim se dão chances de aprender melhor, corrigir suas inadequações e, aos poucos, demonstrar outras habilidades. Consequentemente ficam na empresa e, na maioria das vezes, assumem papéis mais estratégicos.

Como melhorar meu jeito de ser, se me sinto um “sem graça”? Especialistas afirmam que o bom humor não se fabrica, mas pode ser melhorado a partir de treinamento e um processo de olhar para dentro de si mesmo.

Vale salientar que o bom senso deve imperar e o bom humor não pode dar margem para o sarcasmo e piadinhas de fundo preconceituoso. O mundo mudou e as pessoas não toleram a não-tolerância. Brincadeiras que disfarçam atitudes e idéias preconceituosas são sumariamente repudiadas dentro de empresas que buscam o sucesso. Seus colaboradores desaprovam tais posturas, demonstrando que num ambiente corporativo esses comentários são infelizes e inapropriados.

Encontrar a harmonia entre as relações pessoais no trabalho nem sempre é fácil. É uma das questões mais complexas vividas pelos gestores. O mau humor conota um efeito âncora: o mal-humorado não progride e pode impedir a evolução da equipe. Seguem algumas dicas para identificá-lo no meio da multidão, se você julga que ele é peça rara:

• Não comemora vitórias;
• Não se contagia;
• Não é criativo, nem agrega;
• Não consegue discernir pessoal e profissional, entre outras.

Dificilmente trabalharemos somente com pessoas contagiantes, apaixonadas e realizadas profissionalmente. Se for inevitável conviver com alguém que é um Zé Buscapé dentro da empresa, blinde-se, não se deixe contaminar e traga todos os dias a sua dose homeopática de sorrisos, gentilezas e entusiasmo (que significa Deus dentro). Ora, quem se entusiasma tem medo de tempo ruim?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *