R$ 80 Bilhões não circulam anualmente em razão dos imóveis irregulares (fonte: ABECIP)

Regularização de Imóveis é o ato de legalizar edificações irregulares junto aos órgãos competentes, tais como Prefeituras, Cartórios de Registro de Imóveis, entre outros.

Devido à tamanha importância, a regularização de um imóvel deve ser realizada por profissionais qualificados.

Você já imaginou o número de negócios imobiliários que deixam de ser realizados por falta de registro do imóvel? clique aqui.

No Brasil existem aproximadamente 12 milhões de imóveis irregulares (fonte IBGE 2010), isso representa 50%, são 100 milhões de pessoas morando em condições inadequadas.

A Lei 13.465, de junho de 2017, reconhece o usucapião extrajudicial. A lei permite que a regularização de imóveis ocupados de forma irregular aconteça através de um cartório, sem a necessidade de uma decisão judicial.

A regularização fundiária vai além de consentir o direito das pessoas sobre aquele imóvel, para ser plena tem que resolver os problemas jurídicos do bairro, os problemas urbanísticos, ambientais e, principalmente, as questões sociais. Se não for assim, não é regularização.

A regularização fundiária é um desafio para os gestores públicos e tem um custo envolvido. Mas a conta que tem que ser feita não é a de quanto a regularização vai custar. A conta é quanto vai custar ao longo dos anos não fazer a regularização.

O mercado financeiro, através da ABECIP (associação brasileira das entidades de crédito imobiliária), tem números expressivos que se os imóveis estivessem regulares, R$ 80 bilhões em transações e créditos imobiliários girariam o mercado.

Os tramites burocráticos impedem as pessoas de regularizarem seus imóveis, o que dificulta a venda. A USUCAMPEÃO em parceria com a UNION SOFTWARES te ajuda a desburocratizar e dar agilidade para a regularização de imóveis.

Faça sua simulação gratuita agora mesmo, ajude seu cliente e ainda ganhe por isso clique aqui.

Por
Usucampeão

2 thoughts to “R$ 80 Bilhões não circulam anualmente em razão dos imóveis irregulares (fonte: ABECIP)”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *