Quem é a nova Elastic Generation

Maturidade elástica, talvez assim possamos definir esta nova geração que hoje é capitaneada principalmente por mulheres.

Um termos ainda pouco conhecido, a Elastic Generation se tornará, bem possível, tão popular quanto os millenials, uma vez que a presença dessa parcela da população será ainda mais relevante, do ponto de vista econômico e social. Vale lembrar que até 2060, o IGBE salienta que a população de idosos deve superar a de jovens no Brasil.

Penso que para a nossa conversa de hoje é melhor esquecermos os conceitos já defasados que temos sobre envelhecimento. Idade biológica não define essa geração. Eles estão aí e quebram paradigmas de comportamento relacionados à beleza, estética, trabalho, economia e consumo.

Uma geração que já influencia e inspira muita gente! É o que as pesquisas da agência de marketing e consultoria Hype60+ afirma. Empresa com a missão de estudar esse movimento “ageless”, ou seja, aquela geração que não se define pela sua idade biológica.

Essa galera, sem dúvida, foi a maior testemunha e protagonista de muitas revoluções sociais: saíram de casa para trabalhar, foram independentes, usufruíram de algumas mudanças legais, como o divórcio e transformações comportamentais, como o uso das pílulas anticoncepcionais. Geração ativa, comprometida com a sociedade, consumo mais humano e consciente. Logicamente, cabia a eles mudar totalmente o conceito de envelhecimento, não acha?

Empresas com suas marcas e produtos estão voltando os olhos para essa parcela da população e não poderia ser diferente: eles já possuem estabilidade financeira, querem viver plenamente a vida e são consumidores ativos. O público maduro já movimenta aproximadamente r$2 trilhões ao ano e percebem um gap no mercado de produtos e serviços específicos a eles.

Seja na moda, cosméticos, bem-estar, gastronomia, viagens e serviços; há um imenso mercado a ser explorado e que deve ser preenchido para atender com mais qualidade esses com$umidores.

Quem é louco de perder esse filão, que representa hoje no Brasil, um público mais forte do que de crianças?

Enfim, estamos vivendo mais e melhor. Os especialistas dizem que a base da pirâmide mudou, mas no linguajar do jovem a expressão “o jogo virou, não é mesmo, velhinho!”, nunca fez tanto sentido!

E a sua empresa, o que faz de diferente ou especial para atrair esse público, que tem grana, gosta de investir para viver bem durante um bom tempo!

Ah, e cada vez mais conectados, eles buscam empresas também conectadas. Acho bom você se conectar cada vez mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *