Depois da eleição como ficou a cara da sua empresa?

Política fazemos todos os dias desde que acordamos, viver é um ato político. E no meio da polarização que presenciamos nessa última eleição, posicionar-se trouxe riscos extremos.

Você como corretor de imóveis ou imobiliária ou mesmo qualquer empresa de outro setor deve cuidar com extrema cautela a tudo o que possa comprometer a reputação da marca. Ao adotar um lado da moeda e assumir uma posição, estamos também escolhendo nossos simpatizantes.

Ao escolher um lado nessas eleições, fomos manipulados por informações inconsistentes, verdadeiras, mentirosas e uma avalanche de ofensas, xingamentos e insultos deprimentes. Polêmicas que nem mesmo cientistas políticos de renome conseguiram se alinhar ou concordar. Enfim a pergunta, pelo nome da empresa é válida essa defesa ferrenha e feroz de partidos e candidatos, que carregam em seu passado também atitudes reprováveis?

A questão é relativa e a resposta idem, não há uma regra. Mas quando pensamos numa empresa que visa atender o público, diverso e multicultural, todo bom senso e cautela são necessários.

Qualquer exposição na internet é indelével. Por mais que possamos nos explicar, retificar uma opinião mais radical ou grosseira, aquela fala original vai ficar. Alguém salvou, espalhou, gerou comentários e tititis. E as consequências são para nós mesmos.

Ao construir a sua imobiliária você definiu a sua missão, os seus valores e nela fazem parte inclusive os seus colaboradores, com opiniões distintas e que compõem a imagem da sua empresa. Para atingir mais clientes, contamos com nosso público interno. Ele vende e compra a nossa imagem. Nossos funcionários se sentem orgulhosos de trabalharem numa empresa idônea e exitosa.

Ao adotar uma postura mais polarizada, ganhamos sim simpatizantes e, na ressaca, o contrário: muitos antipatizantes que se afastam da sua empresa. Na luta pelo lead diário e suar a camisa pela evolução do funil de vendas, vale a pena ganhar inimigos ou opositores? A concorrência fortemente vibra por isso, mas para você isso valeu a guerra?

Falar de política na empresa é importante. Fortalecer o compromisso cidadão sobre o voto é fundamental. Fortalecer os valores de buscar candidatos honestos, corretos e sermos sumariamente contra a corrupção é o nosso dever. Política, diferente de politicagem, se faz nos ambientes sociais e profissionais. Mas frente à crise de valores na política que assistimos nos últimos anos, devemos lutar para sermos mais humanos, nos conectar com o próximo, sem provocar o afastamento e a repulsa.

Nas cinzas de todos os destroços, concluo que ambos os lados amam o Brasil e a democracia, pautada pela liberdade de expressão. Com ética, respeito e amor pelo próximo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *