Neuromarketing na Prática do Corretor de Imóveis

Se para vender imóveis, você quer entender com precisão as reais necessidades e preferências do seu cliente, o nosso assunto de hoje é Neuromarketing. E neste post você vai descobrir que simples detalhes podem transformar suas campanhas e levantar seus resultados.

Na prática o neuromarketing identifica as sinapses neuronais do cérebro e como ele se comporta diante da decisão de compra. Assim aclara as preferências do consumidor quanto a produtos e serviços que o fazem escolher entre um em detrimento de outro. As memórias afetivas são avaliadas nessas pesquisas, pois elas são decisórias quando um cliente gosta de algo, do seu sabor, seu cheiro ou aparência, mas o faz eleger outro produto como seu.

Como impactar o público através de estímulos externos, chamando a atenção a nossa marca? O neuromarketing está aí para fornecer entendimento mais preciso sobre essas atividades cerebrais. Conhecendo melhor o comportamento do público, pode-se direcionar campanhas e acertar no objetivo final: a venda!

Assistimos aos borbotões ações super emotivas, que têm a missão de valorizar a superação, a sedução, a alegria em grupo, o espírito desbravador e aventureiro, bem como a segurança de aplicações financeiras.

Assuma esse desafio instigante, afinal de contas são 100 bilhões de células e quilômetros de fibras nervosas que compões um cérebro humano! Aprenda a desvendar pensamentos, desejos e sentimentos do seu cliente. Registros mentais e afetivos sobre a casa onde morou e da sua história trazem indícios importantíssimos a respeito do que ele gosta ou não em um imóvel.

Conheça 5 pilares para desenvolver uma estratégia matadora de neuromarketing e converter mais vendas:

  • 1 – O narcisista

O cliente vaidoso tem o pensamento centrado no “eu”, sua prioridade é sempre o seu bem-estar. Tem pouca paciência e menos ainda empatia. Conquiste-o mostrando o que você pode fazer por ele. Não se coloque como centro da negociação. Ele é o grande centro!

  • 2 – Estética

Nosso cérebro é visual e está interligado ao nervo ótimo muito mais do que ao auditivo. Assim a visão impacta muito mais no processamento da informação que outros estímulos sensoriais. Portanto abuse de fotos muito bem produzidas dos seus imóveis. Faça-o observar cada detalhe e se interessar pelo seu produto. A visão atrai e o cérebro registra. Fotos impactantes estimulam o seu desejo de compra.

  • 3 – Diferenças

Nosso cérebro é sensível a situações discrepantes. Apresente sempre negociações adversas e contrastantes para que o cliente saiba escolher entre uma opção boa, que o agrada e uma ruim. É uma ótima pista para você também atendê-lo melhor.

  • 4 – Reconhecimento afetivo

Nem sempre o nosso cérebro funciona a partir de dados racionais e números. Ele procura comparações e conceitos familiares nas vivências e experiências. Ele processa informações simples no momento da compra ou pesquisa online: “Aceita Permuta”, “Ofertas por 24h”, “Aceita Negociação”, etc.

A palavra de ordem é simplicidade!

  • 5 – Informações ordenadas

Apresente uma fala simples, coesa e coerente. Impacte no começo e fim da negociação. O nosso cérebro pouco processa o que está no meio da conversa. Distribua estrategicamente as principais informações sempre no início e fim da fala. Por isso dizemos que os 3 minutos são sempre os principais numa negociação.

Pois bem, ao falar de neurociência e neuromarketing parece tudo nebuloso e complicado, mas esse órgão tão complexo quanto o cérebro é estimulado pela simplicidade. E desses recursos citados, você, corretor, entende muito bem! Explore-os e vença!

Bons negócios!

.

Leitores do Blog Union podem Testar Gratuitamente o nosso sistema. Aproveite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *